Humanização de pets: será que isso faz bem para os animais?

Você já percebeu que os animais de estimação estão cada vez mais parecidos com os humanos? Alguns comportamentos e a forma de se expressar se tornaram tão semelhantes que às vezes esquecemos que eles são realmente pets. 

            Podemos dizer que o modo como tratamos nossos bichos mudou de um tempo pra cá. Antigamente era comum cachorro apenas habitar o quintal e ter comportamentos característicos da espécie como cavar, latir, roer e farejar. Hoje em dia, essa mesma casa já trata o seu novo cãozinho de forma diferente, mais próxima e totalmente inclusa na rotina da família. Ele ganhou caminha perto do sofá e até um espacinho na cama na hora de dormir. Isso tudo estreitou ainda mais a relação do homem com o cão, mas é importante saber que alguns cuidados precisam ser tomados para garantir o bem estar de todos.

            É importante entender que, mesmo querendo muito, os animais não são realmente seres humanos e apesar de você tratar seu cãozinho como filho, algumas características da espécie precisam ser preservadas. Na verdade, um animal que é obrigado a desempenhar atividades humanas como andar de sapatos, vestir roupas com muitos acessórios, andar apenas de carrinho na rua e ser impedido de caminhar para não se sujar, sofre. E muito! A saúde desse bichinho pode ser prejudicada de várias maneiras, tanto física quanto psicológica e infelizmente esse pet pode começar a apresentar alguns distúrbios de comportamento que começam a ser encarados pelo tutor como birra, mal educação e etc.

            O amor pelos bichinhos precisa ir além de abraços e beijos. Precisamos também demonstrar amor respeitando as necessidades da espécie. Tudo bem se você gosta de vestir o animal com roupinhas no frio e também não gosta das patinhas sujas já que ele vai subir na cama, mas tente manejar isso de uma forma benéfica para ele. Passeie e limpe as patinhas depois. Evite roupinhas com muitos acessórios e que fazem muitos barulhos. Deixe o carrinho de bebê para ser usado apenas se seu animal possui alguma dificuldade de se locomover e aproveite para deixa-lo socializar e brincar com outros animais quando for levar ele pra rua. Se ele fica muito em dentro de casa, forneça atividades enriquecedoras que estimulam o faro e a caça. É garantido que isso tudo o tornará mais feliz e a relação de vocês ficará ainda mais saudável e segura.