Crianças e pets, dá certo? Quais cuidados tomar?

A relação das crianças com os bichinhos de estimação trás consigo inúmeros benefícios. Estudos mostram que a criança que cresceu em contato com os animais tem menos chances de adquirir alergias ao longo da vida, além de ser um estímulo mental para o desenvolvimento infantil.

Apesar das vantagens, alguns cuidados devem sempre ser tomados quando o assunto é a convivência entre crianças e pets. Muitas vezes o bebê ainda não tem coordenação motora para tocar e acariciar o animal. Isso faz com que aquele momento de carinho se torne um tormento para o bichinho, podendo muitas vezes resultar em agressividade.

É importante frisar que o monitoramento dos pais e responsáveis nesses momentos é fundamental para garantir a segurança tanto do pet quanto da criança. Primeiramente, os pais devem ensinar seus filhos a forma correta de acariciar. É possível fazer um treino com bichinhos de pelúcia por exemplo, e só depois disso liberar o carinho no animalzinho de verdade.  Apesar de ser natural o interesse das criança nos bichinhos, é preciso orienta-las a sempre perguntar aos donos se aquele pet é bonzinho e gosta de carinho.

Além disso, os sinais dos animais devem sempre ser avaliados! Nada de forçar a barra caso o pet queira sair da situação. Saber a hora certa de afastar a criança ou até mesmo impedir de se aproximar são atitudes importantes que podem evitar acidentes fatais.

Outro fator importante é a higiene. Como muitas vezes a criança tem o habito de levar as mão à boca, é importantíssimo que a saúde do animal esteja preservada. A vermifugação deve estar em dia bem como a vacinação.

Quando o relacionamento entre o ser humano e outras espécies cresce de maneira saudável, contribui para formar adolescentes e adultos com noções de responsabilidade e companheirismo, além atuar como um estímulo físico, mental e social para ambos.