Agressividade: como lidar?

A agressividade nos animais é algo bem complicado de lidar, simplesmente porque ela tem como origem diferentes motivos. Uma socialização deficiente, a falta de atividade física e estresse são exemplos que devemos levar em consideração.

 Atualmente, cada vez mais pessoas estão aderindo o termo “reatividade” ao invés de agressividade, justamente porque é a sensação de determinada situação que provoca no animal a necessidade de reagir sobre aquilo de forma agressiva. O primeiro passo é procurar entender qual a raiz do problema, ou seja, qual o gatilho que faz com que o animal se posicione de forma reativa naquele momento. Definido isso, é necessário trabalhar com associações positivas paralelas a estímulos crescentes, para que o Pet consiga se adaptar àquela situação de forma gradual.  Por exemplo, aquele estímulo que poderia ser um start para uma agressividade, pode agora significar algo positivo para o animal, ao receber uma recompensa no momento- ou imediatamente antes- do mesmo aparecer.

Paralelo ao treino de associação positiva, devemos rever como está a saúde física e mental do animal. Leva-lo ao veterinário é imprescindível para poder descartar o motivo de dor e desconforto. Além disso, manter uma rotina de passeios, regrar a alimentação e realizar comandos periódicos são manejos indispensáveis para reverter o quadro.

Para uma maior segurança nos treinos, é valido contratar um adestrador profissional para lidar com a situação de forma adequada. Assim, será possível proporcionar ao Pet e a família uma melhor qualidade de vida, além de estreitar a relação do animal com seus donos.

Será possível proporcionar ao Pet e a família uma melhor qualidade de vida, além de estreitar a relação do animal com seus donos.